Chambinho, o nosso Padrinho
23/02/2016 11:41 em Editorial

Chambinho do Acordeon vive Gonzagão entre 27 e 50 anos  - Globo Filmes-DivulgaçãoOlá amigos, andei sumido, mas estou de volta, e venho pra falar de um grande musico e de como inúmeras vezes ele cruzou o meu caminho. Estou falando do Chambinho do Acordeon, o padrinho do pé de Calçada, e daqui a pouco eu explico melhor o porquê desta alcunha, mas antes vou contar como conheci o Chambinho.

Eu frequentei a explosão do forró universitário no final dos anos 90, frequentei casas já extintas como KVA, Danado de Bom e Projeto Equilíbrio.

Neste período eu era muito fã de uma banda chamada Caiana, mas nem desconfiava que o sanfoneiro era o Chambinho, pois bem, o tempo se passou, e a cena do forró diminuiu, mas acabei conhecendo dois integrantes da banda Caiana por volta de 2009, no caso Gilvan e Leduar. Um dia eles falaram, “vamos tocar no bar do seu amigo, aparece lá.

Até então, o bar do meu amigo não tinha tocado ninguém que tivesse grande expressão na cena, então, lá fui eu para ver o trio que se intitulava CASA AMARELA. Eles tocavam as terças (se não me falha a memória). O Sanfoneiro deles era familiar, eu me lembro disso, me era familiar, não sei se por causa do Caiana ou por qualquer outro motivo. Mas como o forró naquele bar era uma novidade e ainda mais durante um dia de semana, os shows não tinham quase ninguém.

Houve um dia que somente eu fui, e foi o dia que conversei realmente com o Chambinho. Ele queria me mostrar o CD dele que tinha gravado, ele cantava musicas de Luiz Gonzaga no CD, mas lembro que no show ele me perguntou da onde minha família era na Paraíba, eu disse “de monteiro” então ele puxou uma seqüência de Flavio José e depois tocou Sirano. Foi muito top.

Como já disse em um post anterior, minha família adora um bom arrasta-pé, pedi o contato do sanfoneiro com nome de Chambinho. Ele me adicionou ao facebook a época, na outra semana ele não pode ir porque ia fazer um teste para um filme. Achei estranho, e desde então não vi mais o sanfoneiro que tocava Flávio José.

O Tempo passou e vem o filme “Gonzaga de Pai para Filho”, e quando vejo a propaganda no cinema eu vejo aquele sanfoneiro.img-1007784-gonzaga-de-pai-pra-filho

Antes disso, ou durante, não sei exatamente, tinha um jogo famoso para o facebook que se chamava song pop, lembro de uma vez que o desafiei no ritmo forró…..foi uma lavada.

Mas voltando ao tema, contava para todo mundo que eu conhecia o Gonzaga do filme, que já tinha pedido musica e tudo. O filme apareceu, foi um sucesso e eu falando que já tinha falado com o ator do filme. E assim segui.

Dai me apareceu o pé de calçada, eu entrei no projeto em julho de 2014 e foi quando o evento começou a tomar grandes proporções. Então veio a idéia de tentar fazer algo com apelo social, e com a proximidade do dia das crianças, nos ocorreu fazer uma campanha para arrecadar brinquedos para doar a instituições carentes.  Então para dar credibilidade começamos e pensar em nomes de artistas que poderiam auxiliar nessa campanha, o primeiro a responder foi o Chambinho. Ele disse que estaria na festa nordestina de São Caetano e que poderíamos gravar esse vídeo.

E foi feito, nem acreditei quando ele aceitou. Começamos a disparar na internet o vídeo que gravamos e depois do Chambinho, muitos outros músicos levaram a sério o nosso projeto. Deixei um recado para eles, “se estiverem em SP, apareçam”….e não é que ele apareceu, sempre acompanhado da minha amiga Daniela (esposa do Chambinho)… me lembro de ter chorado de emoção aquele dia… o estranho foi que ele me disse que depois do filme, o lugar onde ele faz menos shows é em São Paulo.

Fiquei surpreso, pois na minha cabeça não conseguia entender como um musico tão talentoso poderia não ter mercado em SP. Chambinho também apareceu em uma outra edição do pé de calçada…ficamos mais amigos, o meu sonho era ter ele no pé de calçada do dia 13 de dezembro que era o dia do forró comemorado em razão de ser a data do nascimento de Luiz Gonzaga.

Eu pensava cá com meus botões, nada melhor do que ter no dia do forró o “próprio Luiz Gonzaga”. Começamos então a perturbar a Dani (esposa e produtora) para ver como estava o dia 13 de dezembro, o tempo passou tão rápido que não conseguimos viabilizar a ida dele ao pé de calçada.

10631254_713558432091982_8497245374750829950_o  No dia 13 de dezembro tocaram Trio Soriano e Forró de Mesa. Este segundo montou um bloco de pre carnaval que se chamava bloco gonzagão. Acabamos fazendo muita amizade com a galera do forró de mesa. Em fevereiro de 2015 o bloco Gonzagão resolveu que ia desfilar no carnaval da Madalena. O Felipinho integrante de Forró de Mesa me perguntou o que eu achava de chamar o Chambinho pra puxar o bloco, eu disse que era uma ótima idéia, ele entrou em contato e se acertou com o Chambinho.

No dia de saída do Bloco, todos apostos em cima do trio elétrico e cerca de 10.000 pessoas na rua, uma grande festa, mas em menos de 100 metros o carro de som quebrou. Então, quando todos acharam que seria o fim do bloco, os músicos do forró de mesa e Chambinho resolveram seguir a pé pelas ruas da Vila Madalena, esse foi um dia muito importante para mostrar ao forrozeiro de SP que o Chambinho era o mesmo de antes do filme, mas só que agora mais pessoas o conheciam.

Uma semana antes tinha tocado no icaraí na comemoração do meu aniversário, lá conversamos bastante sobre um dia quem sabe o Chambinho tocar no Pé de Calçada um1501139_830372353743922_4885023248044097868_o dia. Sempre achei que esse dia nunca chegaria, mas depois de algumas negativas sobre quem ia tocar no pé de calçada de julho, 3 dias antes do evento me veio a mente e possibilidade de o convidar para tocar. Ao enviar a mensagem, em menos de 5 minutos recebi a resposta e a confirmação e uma bronca dizendo assim:

“Demorou pra chamar hein!!!!”

No dia do evento, ele e os demais convidados tocaram e interagiram…..foi um dia muito especial…..o resultado vc confere no link abaixo

Clique Aqui Para baixar o audio gravado ao vivo do Chambinho do Acordeon com a participação do Filpo Ribeiro da Feira do Rolo

Johnny Cruz

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!